Mais tempo de exercício é melhor para as crianças, diz estudo

Pesquisa mostrou que crianças que se exercitaram por 40 minutos tiveram maior redução de resistência à insulina em relação ao grupo que fez 20 minutos. O tempo extra também ajudou na perda de mais gordura corporal e visceral
Crianças que praticam exerícios físicos diários por 40 minutos têm uma saúde melhor e
 menos chances de sobrepeso e de obesidade (Thinkstock)
Praticar 40 minutos de atividade física por dia pode reduzir os riscos de diabetes em crianças, além de reduzir os índices de gordura total do corpo e de gordura visceral. É o que indica uma pesquisa conduzida durante três meses por pesquisadores da Universidade de Georgia, nos Estados Unidos, e publicada no JAMA, periódico da Associação Médica Americana.
Estudos em crianças e adultos já haviam demonstrado os benefícios metabólicos da atividade aeróbica. Faltava, no entanto, entender as diferenças da resposta em relação à duração da atividade. "Se o exercício é bom para você, então mais exercício deve ser ainda melhor. Foi exatamente isso que encontramos na maioria dos resultados", diz Catherine Davis, psicóloga clínica do Instituto de Saúde Pública e Preventiva da Universidade de Georgia.
"A obesidade é um problema de saúde pública que está afetando a juventude em todo os Estados Unidos. Sabemos que a obesidade pode contribuir para o desenvolvimento do diabetes tipo 2", diz Michael Lauer, diretor do Instituto Nacional do Coração, Pulmão e Sangue da Divisão de Ciências Cardiovasculares do Instituto Nacional de Saúde. "Essa pesquisa se soma ao corpo de evidências de que a atividade física melhora a saúde da criança, que longos períodos de exercícios geram mais benefícios e que o aumento de atividades físicas entre crianças com sobrepeso e obesas pode evitar o aparecimento do diabetes tipo 2."
Pesquisa — Foram acompanhados 222 crianças e adolescentes, com idades entre 7 e 11 anos. Todos tinham sobrepeso e eram previamente inativos fisicamente. Um terço manteve seu estilo de vida sedentário, um terço fez exercícios por 20 minutos e o ultimo terço por 40 minutos. Embora o foco primário do estudo era a resistência à insulina, fator de risco para o diabetes, os pesquisadores também mediram o total de gordura corpórea, de gordura visceral e qualidade aeróbica.
Crianças que se exercitaram por 40 minutos tiveram 22% de redução de resistência à insulina em relação ao grupo controle. O grupo que fez 20 minutos teve 18% de redução. Os 20 minutos extras também ajudaram na perda de mais gordura corporal e visceral. "Se você consegue fazer com que as crianças fiquem ativas por 20 minutos todos os dias na escola, isso pode fazer uma real diferença", diz Catherine. De acordo com a pesquisadora, as escolas são um importante local de início, mas uma rotina de 40 minutos irá exigir programas depois da escola também.
Veja também:
Especialista tira dúvidas sobre diabetes
Diabetes — A obesidade infantil é um problema crescente nos Estados Unidos (país onde foi realizado o estudo). Os níveis sem precedentes do problema têm consequências sérias para a saúde e longevidade das crianças. Um exemplo é o diabetes tipo 2, antes considerada uma doença de adulto, com sérias implicações para a saúde cardiovascular. Um dos primeiros indicadores do problema é a resistência à insulina, a quantidade de insulina que o pâncreas precisa produzir para permitir que a glicose circulante no sangue se transforme em energia para as células.
Quando o corpo não consegue produzir insulina suficiente para quebrar toda a glicose do sangue, começa-se um ciclo vicioso. Como as células estão sedentes por energia, há um aumento no apetite e a pessoa acaba comendo mais — o que aumenta a glicose no sangue. "O exercício basicamente dá ao pâncreas uma pausa, e pode prevenir ou atrasar o diabetes tipo 2", diz Catherine. Estudos mais longos, no entanto, ainda são necessários para se descobrir o que acontece com essas crianças ao longo do tempo.
Em 2005, uma comissão federal, liderada por William B. Strong, cardiologista pediátrico e professor aposentado da Faculdade de Medicina da Georgia, recomendou 60 minutos ou mais de exercícios vigorosos por dia para crianças em idade escolar. As sessões de 40 minutos tiveram resultados similares. "Infelizmente, esses 40 minutos ainda estão muito aquém do que as crianças fazem hoje em dia."
Fonte: Veja

Comentários

Mais Visitados