Estudo aponta relação entre peso ao nascer e desenvolvimento cerebral

De acordo com pesquisa, recém-nascidos com maior peso apresentam maior volume em regiões do cérebro ligadas a resolver problemas e a tomar decisões
 
Recém-nascidos: Peso logo depois de nascer pode determinar de que forma cérebro vai se
 desenvolver até a adolescência, diz estudo (Thinkstock)
O peso de um bebê ao nascer pode ter relação direta com o desenvolvimento de seu cérebro ao longo da infância e da adolescência — e, consequentemente, com os aspectos cognitivos e comportamentais que essa criança vai apresentar em sua vida. Essa é a conclusão de uma pesquisa feita na Universidade de Washington, nos Estados Unidos, e publicada nesta segunda-feira na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).
 
Para entender essa relação, o estudo avaliou 628 crianças e adolescentes. Os pesquisadores levaram em consideração o peso desses indivíduos ao nascer e imagens do cérebro de cada um obtidas por meio de exames de ressonância magnética. Os participantes foram divididos em dois grupos: aqueles que nasceram com um peso entre 1,5 e 2,5 quilos e aqueles que nasceram com um peso entre 3,5 e 4,5 quilos. Indivíduos que nasceram com menos de 1,5 quilo (peso muito baixo) ou mais de 4,5 quilos (peso acima do normal) foram excluídos da análise pois poucos participantes haviam nascido com essas características.
 
Segundo os resultados, as pessoas do grupo de maior peso ao nascer, comparadas ao outro grupo, apresentaram, no geral, um maior volume tanto em regiões específicas do cérebro como no órgão como um todo. As partes do cérebro que pareceram estar mais relacionadas com o peso ao nascer foram aquelas associadas à tomada de decisões, às emoções e a resolver ‘conflitos cognitivos’ — ou seja, a detectar erros e contradições no fluxo de informações que é processado pela mente.
 
“Esse estudo mostra que aspectos do desenvolvimento cerebral de crianças de adolescentes podem ser previstos pelo peso dessas pessoas ao nascer, que é o indicador de saúde pré-natal mais amplamente utilizado”, escreveram os autores no artigo. Agora, os pesquisadores querem desenvolver novos estudos para entender de que forma o desenvolvimento cerebral de uma criança interage com fatores ambientais (vida social, ambiente familiar e escolar, por exemplo) ao longo da vida.
 
Fonte: Veja

Comentários

Mais Visitados