Você já ouviu falar em Marshmallow?

Através dos Marshmallows, psicólogos da Universidade de Santford descobriram que as crianças que controlaram o impulso de comer um marshmallow são os que se saem melhor na escola! Como?

Bem, apesar de, por um lado ser até engraçado, por outro, esta pesquisa tem muito a nos dizer sobre o autocontrole das crianças e a vida adulta dos mesmos. O significado da experiência original não tinha nada a ver com marshmallow mas sim, tudo a ver com a importância do controle dos impulsos e da capacidade de adiar a gratificação e consequentemente, fazer escolhas inteligentes.
Em suma, esta foi uma pesquisa de longo prazo que, primeiramente foi conduzida pelo psicólogo Walter Mischel, em 1968. Centenas de crianças fizeram parte deste estudo que seguiu-as até a vida adulta. A pesquisa resumia em colocar as crianças em uma sala sozinhos com um marshmallow e disseram se não comê-lo depois de 15 minutos, eles seriam recompensados com dois marshmallows. O teste comprovou que as crianças que não conseguiram esperar pelo segundo marshmallow tiveram diversos problemas de controle dos impulsos mais tarde na vida, como por exemplo:
  • Maior índice de massa corporal
  • Consumo abusivo de substância (álcool e drogas)
  • Baixa autoestima
Essa pesquisa veio a tona novamente quando Dr.Dave Walsh recriou partes deste estudo, em colaboração com a TV WCCCO em Minneapolis e pode, mais uma vez, expor a importância da aprendizagem das crianças em relação ao controle de impulso:


“É fundamental ensinar todas as nossas crianças, tanto meninos quanto meninas, como dizer "não" a si mesmos, porque a auto-disciplina é a chave para o sucesso e felicidade. Existem dois desafios para os pais: Primeiro de tudo, as crianças não aprendem a auto-disciplina por conta própria, necessitando dos pais, professores e outros cuidadores. Em segundo lugar, controle de impulsos não se aprende em uma aula. É um padrão de aulas que se repetem uma e outra vez. A melhor estratégia para ensinar controle dos impulsos é "limites e as conseqüências." Isto implica deixar a criança saber de antemão quais são as expectativas ou limites e qual a conseqüência, se as expectativas não são cumpridos ou os limites observados. É importante que a criança saiba que eles estariam "escolhendo" a conseqüência de seu comportamento. No caso em que a expectativa não seja cumprida ou o limite não seja respeitado, é muito importante para os pais seguir com a consequência de forma calma e de maneira consistente. Assim a criança experimenta o resultado negativo da sua própria escolha. Seguindo esse padrão consistente, que não é fácil mas é muito eficaz.” Dr. Dave Walsh

O teste do marshmallow foi uma forma inteligente para medir a auto-disciplina, que é como um fator chave de sucesso em tantas áreas da nossa vida.
É importante lembrar que estamos falando de generalizações aqui
com muitas exceções à regra.

Muitos pais têm dificuldade em dizer não a seus filhos, pois desenvolveram uma reação alérgica a infelicidade da criança. Realmente, não é fácil a tarefa de dizer “não” a uma criança e tentamos ao máximo suavizar a maioria dos obstáculos dos pequenos e acabamos nos enganando pois nossa função é ter certeza de que nossos filhos tenham "amortecedores" para que possam lidar com os solavancos da vida.

Estabelecer limites e fazer cumprir as consequências é um trabalho árduo e o caminho de menor resistência é o de ceder a uma lamentação. Dizer "não" é mais difícil a curto prazo do que dizer “sim." O problema é que o “sim” é muito mais difícil a longo prazo para mudar as coisas. Se não podemos dizer "não" a uma criança de dois anos, nós não conseguiremos dizer o mesmo quando ela tiver quinze anos.

Para incorporar a importância de ensinar nossos filhos a entender "não significa não" enquanto ainda mantém paternidade de uma forma positiva é fácil, mas ao mesmo tempo difícil pois precisamos avaliar a situação, ou seja:
"Estou dizendo sim, porque eu acho que é a coisa certa a fazer, ou porque é o caminho de menor resistência. Se eu estou dizendo que sim só para acalmar uma criança, então eu posso estar comprando a paz a curto prazo à custa de prejuízos a longo prazo.” Exemplifica Dave.

A resposta a esta pergunta é simples e difícil. A resposta simples é a calma, e aplicar consistentemente as consequências sem ser atraídos para as lutas de poder. No entanto, é difícil de fazer. Precisamos lembrar que o trabalho do filho é empurrar os limites e é nosso trabalho para configurá-los.

Persistência, paciência e determinação
são características essenciais para a felicidade e sucesso a longo prazo.
O objetivo é dizer "não" quando preciso.
Paciência é uma arte,
O equilíbrio de um sim e não é de fato uma arte.

Para saber mais, visite mais Dr. Dave Walsh

2 comentários:

Anônimo disse...

com que é idade é recomendado fazer esse teste?

Simone Barbosa Pasquini disse...

Olá anônimo,
Não é recomendável fazer teste em crianças sem estar em um ambiente adequado, com profissionais, objetivos a alcançar e para uma finalidade de estudo ou pesquisa!
Eu não recomendo!
Bjkss