A Importância do brincar na vida das crianças



 Palestra A importâcia do brincar na vida das criança,
a qual fui convidada a participar pela empresa Joanninha
 
"A brincadeira é a atividade espiritual mais pura do homem neste estágio e, ao mesmo tempo, típica da vida humana enquanto um todo... Ela dá alegria, liberdade, contentamento, descanso externo e interno, paz com o mundo... O Brincar em qualquer tempo não é trivial, é altamente sério e de profunda significação." (Froebel, 1912)

O Brincar é um tema abordado por diversos teórico e filósofos além de ser um tema vasto que possibilita imensos questionamentos. Neste artigo pretendo focar:

-benefícios deste ato prazeroso,
-diminuição no tempo da brincadeira com o passar dos anos,
-conseqüências deste declínio para crianças e jovens.

A importância do brincar e seus benefícios

Peço que antes de continuarem a leitura, respondam algumas questões:

Vamos relembrar:
-Quando vocês eram crianças, qual era a brincadeira que mais gostavam?
-Brincavam sozinhos ou com alguém?

Brincar é a atividade mais comum da criança e essencial para o desenvolvimento saudável. Este ato proporciona o desenvolvimento cognitivo, físico, social, e bem-estar emocional das crianças e jovens, além de ser uma forma importante de comunicação.

A brincadeira oferece oportunidade para a criança:
-mostrar suas características, seus sentimento, desejos que muitas vezes não consegue expressar através da fala,
-desenvolver a imaginação e criatividade,
-aprender a controlar o ambiente e seu comportamento neste meio,
-fortalece suas habilidades sociais, ou seja, "diferentes classes de desempenho social no repertório do indivíduo para lidar de forma competente com as demandas das situações interpessoais" (Del Prette & Del Prette, 2001, p.31). Exemplo de algumas habilidades: assertividade, empatia, autocontrole, expressividade emocional, habilidades sociais acadêmicas e outros,
-estimular a interação com o mundo,

Ao brincar a criança revive eventos que foram significativos, mostra seus sentimentos, comportamentos e dificuldades relacionadas a algumas situações. O ato de brincar permite que a criança procure soluções adequadas para comportamentos disfuncionais e através de brincadeiras e o uso da fantasias dirigidas, aumenta as chances da criança buscar alternativas para esses comportamentos inadequados que primeiramente atua através de personagens que representa e depois generaliza para o ambiente em que vive.

A brincadeira permite a criança desenvolver as habilidades necessárias para o futuro pois fornece experiências de vida crítica a qual as crianças podem se desenvolver como adultos confiantes e competentes.

Podemos destacar também a importância da interação dos pais nestas brincadeiras, aumenta a possibilidade de uma relação pai-filho saudável, essencial para a criança.

Vamos relembra:
-Quando vocês eram crianças, quanto tempo aproximadamente brincavam?

Apesar dos benefícios derivado das brincadeiras e jogos, o tempo destinado aos mesmos reduziu para a maioria das crianças.

O declínio da brincadeira e suas conseqüências

Alguns artigos e pesquisas relatam uma diminuição significativa neste tempo de brincar e como esta falta afeta o desenvolvimento emocional da criança, levando ao aumento de diversas doenças.

O que está interferindo nas brincadeiras das crianças?

"Desde cerca de 1955 ... brincadeira livre das crianças está continuamente em declínio, pelo menos em parte porque os adultos têm exercido o controle cada vez maior sobre as atividades das crianças", diz o autor Peter Gray, Ph.D., Professor de Psicologia (emérito) em Boston College.

Um estudo avaliou crianças de 6 a 8 anos de idade e comparou como as crianças passavam o tempo em 1981 e novamente em 1997. Os pesquisadores descobriram que, em comparação a 1981, as crianças, em 1997, gastaram menos tempo em jogo e brincadeiras e tinha menos tempo livre. Eles passaram de 18% mais tempo na escola, 145% mais tempo fazendo trabalho escolar, 168% fazendo compras com os pais. Os pesquisadores descobriram que, incluindo o jogo de computador, as crianças em 1997 gastavam apenas cerca de 11 horas por semana em brincadeira livre.

Em outro estudo, as mães eram convidadas a recordar brincadeiras de sua infância e comparar com o tempo de brincadeiras de seus filhos. 80% observaram que seus filhos brincavam com menos freqüência e por períodos mais curtos de tempo do que elas. As mães notaram que elas restringiram as brincadeiras infantis ao ar livre por causa de preocupações de segurança, abusadores de crianças, o tráfego rodoviário, e bullies.

Podemos somar resultados de algumas outras pesquisas que devem ser considerados como fator na diminuição do espaço do brincar na sociedade atual:
-crescimento das cidades,
-aumento da violência,
-ausência de espaços públicos voltados para o lazer,

Quais as conseqüências dessa nova tendência?

Esses foram acontecimentos que ocorreram e todos tiveram que se adaptar. Nos dias de hoje:
-pais e mães trabalham para ajudar na renda mensal
-as crianças ingressam mais cedo nas escolas
-muitas crianças realizam atividades extracurricular como forma de desenvolver aptidões e habilidades necessárias para terem um “futuro promissor”
-quando as crianças estão em casa, elas ficam expostas aos programas de TV que hoje bombardeiam as crianças com uma programação 24 horas com diversos estímulos de consumismo e informações indevidas e muitas vezes substitui o lugar do brincar.
-crescimento significativo de crianças que manuseiam computador ou brincam passivamente frente ao vídeo game.

Por conta do dia-a-dia atarefado das pessoas em busca da sobrevivência, esse brincar com a criança, ou oferecer subsídios para que ela o faça, fica cada vez mais em segundo plano.

Temos que destacar que não é que ninguém se propôs a fazer desaparecer com o tempo de brincadeiras livre, mas seu valor não tem sido reconhecido. Como resultado, o tempo dos miúdos de brincar livremente não foi protegido.

Seria errado dizer que as tendências atuais são um problema para todas as crianças, devemos sim reconhecer essas vantagens mas também não esquecer de proporcionar um momento de brincadeira para a criança.

Qual a conseqüência do declínio do tempo de brincar?

Houve um aumento significativo na ansiedade e depressão de 1950 aos dias de hoje, em crianças, adolescentes e adultos jovens.

Um estudo mostrou um aumento de 5 a 8 vezes mais crianças e estudantes universitários relataram depressão clinicamente significativo ou ansiedade, comparado há 50 anos atrás. Outro documentado mostra uma tendência similar em adolescentes de 14 a 16 anos de idade, nos anos entre 1948 e 1989.

Crianças com agendas lotadas estão a mercê da pressão da rotina que provoca grande estresse e diversos outros problemas podem surgir como:
-problemas de atenção
-distúrbios alimentares
-distúrbio do sono


Qual a solução?

Brincar é uma parte essencial do crescimento e pesquisadores acreditam que é fundamental para garantir que as crianças alcancem seu pleno potencial na vida.

Proporcionar um tempo diário para a criança se dedicar as brincadeiras, explorar, testar, investigar e descobrir a si mesma, os outros, os papéis sociais, valores familiares e por fim, o mundo.

Repensar no uso excessivo de entretenimentos passivos como televisão, computador e vídeo game.

"Os jogos da criança são o insubstituível lugar de uma auto-aprendizagem por si mesma, em que vemos que se trata de uma cultura livre... Por meio do jogo, a criança aprende a coagir a si mesma, a se investir de uma atividade duradoura, a conhecer e a desenvolver as forças do seu corpo." (Kant, 1787)

2 comentários:

Renata de Oliveira Sena disse...

Boa noite. Achei esse artigo muito interessante e, se possível, gostaria das referências utilizadas para poder ler na íntegra. Atenciosamente
Renata Sena

Elizabeth Rempel disse...

Bem relevante esse tema para quem trabalha com crianças; fiquei bastante interessada em ler o artigo completo.