Brincar com o pai traz confiança ao pequeno

Quanto tempo por dia você brinca com seu filho? Um estudo inédito no Brasil, chamado “A Descoberta do Brincar”, mostra que a maioria dos pais brasileiros não se mostra disposta a dedicar tempo às crianças com essa finalidade. Os motivos para isso são vários, incluindo excesso de trabalho. Tanto que apenas 37% das crianças brincam com o pai ou a mãe; 71% brincam com os amigos do bairro ou rua; e 69%, com os amigos da escola.

Os pesquisadores também descobriram que o tempo para brincar está cada vez menor. Isso acontece por diferentes razões em cada classe social. Os especialistas alertam para os riscos dessa postura, como o estresse das crianças, a perda de atenção, falta de motivação e dificuldade de criar e ter autonomia sobre o uso do seu tempo.

Para a psicopedagoga da Escola São Domingos, Rita de Cássia Ferreira da Silva, as brincadeiras são fundamentais para o desenvolvimento da criança. “O que se percebe é que, na fase infantil, a brincadeira é muito importante. Após os 6 anos, as brincadeiras passam a ser outras. Mas são fundamentais, porque a criança, ao interagir com o outro, se percebe como ser humano”.

De acordo com a profissional, as brincadeiras estimulam o lado cognitivo, o emocional e a percepção de mundo da criança, além do desenvolvimento motor, que é o corpo.

Qualidade
 
Para Rita, é fundamental que o pai ou a mãe tenha um horário de qualidade ao lado do filho. “Independentemente da duração do tempo, o envolvimento tem que ser de qualidade. Eles criam a relação social e aprendem a se expressar, socializar e também ganham confiança”, explica.

O policial militar Agnaldo Mariano Almeida, pai de dois filhos - 10 e 16 anos - procura priorizar a relação com os filhos. “O mundo está muito complicado e por isso acho fundamental essa relação. Nos horários de folga do fim de semana, dedico o tempo livre a eles. A gente joga bola, solta pipa, viaja, vai a praia e joga videogame. Sempre juntos. Assim, eles crescem mais conscientes. Sou um espelho para os dois”, ressalta.
 

Comentários

Mais Visitados