Trantorno de Ansiedade em Crianças


O que é Ansiedade?

A ansiedade é uma forma de estresse que pode ser experimentada de diferentes maneiras: fisicamente, emocionalmente, e na forma como as pessoas vêem o mundo em torno de si próprias. 

Ansiedade refere-se principalmente a preocupação, ou seja, acontecimentos, preocupar com as coisas dando errado ou sentir como se estivesse em algum tipo de perigo.

A ansiedade é uma reação natural do ser humano, e serve como uma função biológica importante pois é um sistema de alarme que é ativado sempre que percebemos o perigo ou uma ameaça. Quando o corpo e a mente reagem, podemos sentir sensações físicas, como tontura, batimento cardíaco acelerado, dificuldade respiratória, as mãos suadas ou com tremores e pés. Essas sensações, chamadas de resposta de luta-fuga, são causadas ​​por uma onda de hormônios do estresse como adrenalina e outros que preparam o corpo para reagir contra o perigo.

A resposta de luta-fuga acontece instantaneamente. Mas, geralmente, leva alguns segundos a mais para a parte pensante do cérebro (o córtex) processar a situação e avaliar se a ameaça é real, e se sim, como lidar com isso. Quando o córtex envia o sinal de que está tudo bem, a resposta de luta-fuga é desativado e o sistema nervoso começa a se acalmar.

Ansiedade normal

Todo mundo experimenta sentimentos de ansiedade ao longo do tempo. Estes sentimentos podem variar de uma leve sensação de desconforto para um pânico, dependendo da pessoa e da situação.

É natural que situações desconhecidas ou desafiadoras possam eliciar sentimentos de ansiedade ou nervosismo em pessoas de todas as idades. Você pode sentir isso quando você tem uma grande apresentação no trabalho, por exemplo, ou quando a vida fica muito agitado.

Crianças podem se sentir, também, em situações semelhantes - quando enfrenta um teste importante ou mudar as escolas, por exemplo. Estas experiências podem desencadear ansiedade normal, porque eles nos levam a concentrar-se e nos questionar: E se eu fracassar? E se as coisas não sairem como eu planejei?

Uma certa quantidade de ansiedade é normal e pode até ser motivador. Ela nos ajuda a permanecer alerta, focado, e pronto para nós fazermos o nosso melhor. Mas a ansiedade que é muito forte ou muito freqüente pode tornar-se paralizante e interfere na capacidade de fazer as  coisas e, em casos graves, pode dificultar a realização de diversas coisas boas e agradáveis ​​da vida.

Transtornos de Ansiedade

Os transtornos de ansiedade estão entre os mais comuns problemas de saúde mental. Isso é em parte porque todos estresse pode se tornar uma experiência repleta de preocupações. Há muitos tipos diferentes de distúrbios de ansiedade, com sintomas diferentes. Mas todos eles partilham um traço comum - a ansiedade prolongada e intensa que é fora de proporção com a situação atual e afeta a vida cotidiana de uma pessoa e felicidade.

Os sintomas de um transtorno de ansiedade pode surgir subitamente ou pode vir gradualmente. Às vezes, a preocupação cria uma sensação de desgraça e mau agouro que parece vir do nada. Crianças com problemas de ansiedade não pode mesmo saber o que está causando as emoções, preocupações e sensações que eles têm.

Transtornos que as crianças podem obter incluem:

•Transtorno de  Ansiedade Generalizada: Com este transtorno de ansiedade comum, as crianças se preocupam excessivamente com muitas coisas, como a escola, a saúde ou segurança dos membros da família, ou o futuro em geral. Eles podem sempre pensar o pior que poderia acontecer. Junto com a preocupação e o medo, as crianças podem ter sintomas físicos, como dores de cabeça, dores de estômago, tensão muscular ou cansaço. Suas preocupações poderiam causar-lhes a faltar à escola ou evitar atividades sociais. Com ansiedade generalizada, as preocupações podem se sentir como um fardo, tornando a vida esmagadora ou fora de controle.

•Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): Para uma pessoa com TOC, ansiedade toma a forma de obsessões (pensamentos excessivamente preocupantes) e compulsões (ações repetitivas para tentar aliviar a ansiedade).

•Fobias: Estes são medos intensos de coisas ou situações específicas que não são inerentemente perigosos, tais como altura, cães, ou voando em um avião. Fobias geralmente levam as pessoas a evitar as coisas que eles temem.

•Fobia Social (ansiedade social): Essa ansiedade é desencadeada por situações sociais ou falar na frente dos outros. Uma forma menos comum chamado mutismo seletivo faz com que algumas crianças e adolescentes sentem medo de falar em determinadas situações.

•Ataques de Pânico. Estes episódios de ansiedade pode ocorrer sem nenhuma razão aparente. Durante um ataque de pânico, uma criança geralmente tem súbitios e intensos de sintomas físicos que podem incluir um coração acelerado, falta de ar, tontura, dormência, formigamento ou sentimentos. A agorafobia é um medo intenso de ataques de pânico que faz com que uma pessoa vai a lugar nenhum, para evitar uma ataque de pânico poderia ocorrer.

•Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT): o transtorno de ansiedade de uma experiência traumática passado. Os sintomas incluem flashbacks, pesadelos, medo e fuga do evento traumático que causou a ansiedade.

Causas

Especialistas não sabem exatamente o que causa transtornos de ansiedade. Várias coisas parecem desempenhar um papel, incluindo a genética, a bioquímica cerebral, uma resposta de luta-fuga hiperativa, as circunstâncias estressantes da vida e comportamento aprendido.

Uma criança com um membro da família que tem um transtorno de ansiedade tem uma chance maior de desenvolver um também. Isso pode estar relacionado a genes que podem afetar a química do cérebro e regulação dos neurotransmissores. Mas nem todo mundo com um membro da família que tem um transtorno de ansiedade desenvolverão problemas com ansiedade.

Coisas que acontecem na vida de uma criança pode definir o cenário para transtornos de ansiedade na infância ou mais tarde na vida. Exemplos: Perda (como a morte de um ente querido ou separação dos pais) e transições importantes da vida (como se mudar para uma nova cidade) são gatilhos comuns. Crianças com histórico de abuso também são mais vulneráveis ​​à ansiedade.

Crescer em uma família onde os outros estão com medo ou ansiosos também pode "ensinar" a criança a ver o mundo como um lugar perigoso. Da mesma forma, uma criança que cresce num ambiente que é realmente perigoso (se houver violência na família da criança ou da comunidade, por exemplo) pode aprender a ser medroso ou esperar o pior.

Sinais e Sintomas

Apesar de toda a ansiedade experiênciada pela criança em determinadas situações, a maioria (mesmo aqueles que vivem através de eventos traumáticos) não desenvolvem transtornos de ansiedade. Aqueles que, no entanto, irá parecer ansioso e tem um ou mais dos seguintes sinais:

•excessiva preocupação na maioria dos dias da semana, durante semanas a fio

•problemas para dormir à noite ou sonolência durante o dia

•inquietação ou fadiga durante as horas de vigília

•dificuldade de concentração

•irritabilidade

Estes problemas podem afetar o funcionamento de uma criança no dia-a-dia, especialmente quando se trata de concentração na escola, dormir e comer.

E é comum para as crianças a evitar falar sobre como se sentem, porque eles estão preocupados que os outros (especialmente seus pais) podem não entender. Eles podem ter medo de serem julgados ou considerados fracos, com medo, ou "infantil". E, embora as meninas são mais propensos a manifestar a sua ansiedade, meninos experimentam esses sentimentos também, e por vezes sentem dificuldade para falar. Isto leva muitas crianças a se sentir sozinho ou mal compreendido.

A boa notícia é que os médicos e terapeutas hoje compreender melhor os transtornos de ansiedade do que nunca e, com o tratamento, pode ajudar as crianças a se sentir melhor

Tratamento

Uma criança com ansiedade pode ser tratada por um profissional de saúde mental. Um terapeuta pode olhar para os sintomas, diagnosticar o transtorno de ansiedade específico, e criar um plano para ajudar a criança a lidar com a ansiedade.

Um tipo de terapia da conversa chamada terapia cognitivo-comportamental (TCC) é frequentemente utilizado. No TCC, as crianças experimentar novas maneiras de pensar e agir em situações que podem causar ansiedade, e para gerir e lidar com o estresse. O terapeuta oferece apoio e orientação e ensina novas habilidades de enfrentamento, como técnicas de relaxamento ou exercícios respiratórios. Às vezes, mas nem sempre, a medicação é usado como parte do tratamento para a ansiedade.

Ajudando seu filho a lidar

A melhor maneira de ajudar o seu filho é reconhecer o problema, sem julgamento de apoio. Falar abertamente sobre os sintomas do seu filho e realmente tentar entender como eles estão afetando a vida cotidiana. Ela também pode ajudar a falar com outros adultos que participam da vida de seu filho, como professores e treinadores.

Seja paciente e positivo como o seu filho Às vezes ajudar a falar com ele sobre suas próprias preocupações e como você foi capaz de superá-los pode auxiliar. Tenha certeza de que com o cuidado certo, seu filho pode superar a ansiedade e aprender a encarar o futuro.

Reviewed by: Michelle New, PhD Avaliado por: Michelle Nova, PhD
Fonte: Kids Health  

Comentários

Anônimo disse…
Considero muito boa a escrita, clareza e ajudou-me para a confirmação de alguns aspectos que eu considero relevante no fator ansiedade. Obrigada.
Anônimo disse…
Eu tenho ansiedade á 1 ano, eu falo para procurar um psicologo,mas ele nao me escuta,eu nao consigo sair de casa sem ter dor de barriga e nausea, e eles nunca fazem nada, eu tomo bastante remedios e nao acontece nada,é so falar em viajar q eu ja fico c dor de barriga.
Eu ainda quero q um dia meus pai me escutem e procurem um profissional,alem de uma Cinta.

Eu tenho hoje 12 anos e já tenho esses problemas
KTZ disse…
Sobre o comentário do "anônimo" que diz sofrer ha muito tempo e não tem recebido ajuda, como você esta hoje?
Roberto Vilela disse…
Ótimo artigo,

Conheci um casal que tem um filho que sofre de Ansiedade, no inicio foi complicado pois eles não sabia como diagnosticar isso, até que depois de um bom tempo encontraram o problema.

É muito ruim sentir crises e o certo é a pessoa logo quando sentir os primeiro sintomas ir ao medico e verificar o que esta acontecendo procurar ajuda também dos familiares que muitas das vezes não sabe nem o que é ansiedade
Anna disse…
Estou vivenciando esse problema com meu neto. O artigo me orientou bastante para que eu possa lidar com ele e procurar um tratamento adequado.
Anônimo disse…
tenho um filho de 3 anos e ele é super esperto, grava com facilidade marcas e tipos de carros e outras informações, mas tenho notado ele comendo muito e sempre chorão. ele não dorme direito a noite, com raras excessoes de noites completas.
Por onde começo? Devo levar a algum psicopediatra?
Carol Nishio disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse…
Defendo muito o tratamento precoce da ansiedade, comecei a ter síndrome do pânico aos nove anos. Sempre tive insônia devido ao "café com leite" que várias crianças da minha época tomavam. O pânico começou quando percebia que todos iam dormir e eu ficaria acordada, começava a anoitecer e o pânico vinha. Tive várias crises ( tontura, confusão , medo insuportavelmente algo que não sabia, depois os vômitos e por fim uma dor de cabeça muito forte). Meu neurologista me diagnosticou com disritmia e tomei 4 anos de Tegretol! Que é óbvio não melhorou em nada as crises!A pessoa que mais me ajudou foi uma psicóloga que indicou o Ansitec, foi ótimo ter algo que abortava a crise! Por isso sofri muito até entender que não era nada demais, sempre achei ter algo incurável , e hoje vivo perfeitamente bem e medicada!Criancas sofrem muito , ser ansiosa é correr atrás do vento, é se sentir em perigo o tempo todo, é exigir mais que podemos dar!
Sou mãe de uma menina de 9 anos com esse mesmo problema : na hora de deitar fica em pânico. Começou a fazer psicoterapia há 1 mês mas não vejo melhorias. Obrigada por contar sua situação, assim entendo melhor a minha filha.
Junior angra disse…
Boa noite... meu filho foi diagnosticado por sua psicóloga com distúrbios de anciedade infantil, somos país divorciados a 4 anos e meu filho apresenta a maioria dos sintomas no artigo mencionados. Eu sinceramente estou me sentindo incapaz pois não sei como posso ajudar meu filho. Me sinto muito mal pois meus filhos são tudo para mim....
Anônimo disse…
Gostaria de saber o qeu fazer com minha netinha que tem 8 anos
ela está muito ansiosa e começa a comer mesmo sem fome a gente percebe que ela
come compulsivamente,minha filha não deixa mas ela começa a gritar que esta morrendo de fome
e a mãe não deixa ela comer.
Teve muitos problemas com o pai,flata de amor e carinho,saiu de casa umas 8 vezes,fora o que ouvia ele dizer e fazer.Gostaria de uma opinião,ficaria muito feliz se receber uma resposta.
Unknown disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse…
Não sei se alguém já passou por isso e possa me orientar. Minha filha tem 6 anos e trocamos ela de escola devido a condição financeira. Logo que começou na nova escola teve queda de cabelo. Hoje já perdeu o roda moinho e um pouco mais de cabelo. Ainda para ajudar ela esta com tiques de passar o dedo na linguave ficar lambendo o braço. Levei no pediatra e apos ver que os exames realizados não ter nada de errado. Então ele disse que é psicologico e encaminhou a psicóloga. Começamos a análise hoje com a psicóloga. Oro a Deus para terminar logo todo esse transtorno.
Mãe disse…
Não sei se alguém já passou por isso e possa me orientar. Minha filha tem 6 anos e trocamos ela de escola devido a condição financeira. Logo que começou na nova escola teve queda de cabelo. Hoje já perdeu o roda moinho e um pouco mais de cabelo. Ainda para ajudar ela esta com tiques de passar o dedo na linguave ficar lambendo o braço. Levei no pediatra e apos ver que os exames realizados não ter nada de errado. Então ele disse que é psicologico e encaminhou a psicóloga. Começamos a análise hoje com a psicóloga. Oro a Deus para terminar logo todo esse transtorno.
Debora Domingos disse…
Oi Bom dia. Eu tenho ansiedade tomei remedio mas tive que parar pois a minha familia nao tem suporte pra me ajudar e acham que esse problema é besteira. A minha sogra e eu desde quando vim morar perto dela vivemos discutindo e ela ainda interfere na educação do meu Samuel e no meu casamento. Porem como perdi minha mãe ela me ajuda ficando com ele quando preciso ir ao medico ou resolver algo. Comecei terapia mas tive que parar pois ela se recusou a ficar com meu filho pra eu fazer o tratamento. So se fosse caso de doença ela diz. Ela tem um marido que bebe e é agressivo. Tem um filho autista. E nao aceita que elmeu marido saiu de casa pra morar comigo. Me agredia verbalmente duzendo que eu era explquedora e rapariga que nao deuxava ele viaitar a mae qdo raras as vezes ele tava comigo pois ele so tem 2 folgas no mes e ajudava com o bb. Eu sempre fui um pouco ansiosa mas quando passei a conviver com a familia do meu marido piorei. Tive que tomar remedio. Meu filho foi crescendo e eu erroneamente quando ele entrava em birra gritava e batia nele. Lendo artigos sem saber o que fazer, que fui mudando de estratégia. percebi que meu pequeno que agora tem 5 anos mesmo orientando é teimoso nao quer ouvir as minhas orientações. Hora diz que me ama mas nao quer ficar comigo. Quer ficar com minha sogra. No colegio e em casa é agressivo consigo mesmo se bate e joga no chão quando nao damos o que quer. Converso com ele. Digo pra ele obedecer e fazer as tarefas do colégio e comer. Mas so quer ta correndo e brinca se jogando em nós e nos batendo nos colegas tbm. Quando chega perto quer carinho e abraço mas depois ja quer beliscar e bater. Converso digo pra se comportar bem mas sobe em mesa, cadeira. Boto de castigo mas a minha sogra ja toma a frente e o mima. Como to gravida ela diz que nao quer que eu tenha raiva. Mas ai eh que fico chateada. Qdo converso com ela, ela se recusa a me escutar. Na avo dele ele corre e passa o dia na TV ou tablet e come quando quer.em casa eu boto limites ele pouco se joga brinca direito. Come. qdo quer chorar que faz mal criaçao. Boto de castigo no cantinho da disciplina ou tiro o tablet. diz que quer ir pra avó e quer quer morar com ela. As vezes me aborreço e do umas palmadinhas depois de tanto orientar. Qdo ele passa o dia la sem mim ela diz que bateu nele e que o filho dela de 11quandoque é normal bateu nele pois meu pequeno bateu primeiro. Digo que nai é justo pois a diferebça de força e idade é grande dai ela diz que o filho dela nao vai apanhar do meu. Mas mesmo assim o meu filho prefere ta la apanhando dela e do filho dela de 11 anos do que comigo. E agira so sabe brincar batendo. Ne sinto frustada como mae. Penso que ele nao gosta de mim ou que ta com algum problema. Ja tentei neuropediatra mas to na fila de espera ha 3 anos socorro
Debora Domingos disse…
Qdo eu to com ele brinco com ele. Leio. Assisto tv junto. Ele pede o tablet. Negocio digo que vou dar se ele se comportar bem. Obedecer a mamae. Que so quero o bem dele. E digo pra ele brincar de outra coisa.no final do dia dou o tablet caso cumpra. Se nao o lembro da negociaçao e nao dou. Dai ele ja diz que quer ir pra avo. Que nao quer ficar comigo. Como minha gravidez é de risco não passeio mais como antes com ele. Mas noto que ao ficar comigo sozinho ele me obedece, claro que nem sempre mas pouco tem birra. Come direito. As vezes nao quer comer mas convenço a comer sem ser rispida. Mas mesmo assim ele passa o dia dizendo que quer ficar na avo. Mesmo apanhando do menino dela de 11 anos que não é autista. O autista o meu marido todos os dias da semana leva pra instituiçao e leva pra casa dela. Mas qdo ele ta de folga se ele nao for pra casa dela ela ia na nossa casa fazer escandalo dizendo que ele esqueceu que tem mae e dizendo que so queria me comer e que deveria ser muito gostoso pra nao ir visitar a mae. Quando ele ficava de folga ao invez de eu ficar bem e feliz ficava apavorada esperando um escandalo. Ha dois meses nos mudamos pro mesmo bairro mas com vizinhança mais tranquila e mais distante dela, pois a vizinhança tbm era insuportavel com carro de som nas alturas e sem respeitar jogavam fogos e pedras na minha casa mm com criança. Ha dois meses ela pegava o Samuel na escola e deixava aqui em casa pois nao posso pega-lo por enquanto devido a gravidez. Surgiu uma casa na rua dela e ela disse pra nos mudarmos pra la pra ela poder ajudar no resguardo. Me imaginei passando aquela situaçao de escandalos e apavoramento de novo. E me deu panico. Apenas disse q ia olhar a casa. Qdo meu esposo disse q eu nao queria ir porque a rua é muito barulhenta ela passou a nao deixar o meu filho aqui em casa. E qdo fui pra casa dela ela passou a perguntar se eu queria dar o menino pra ela na frente dele. Eu disse nao. Que o amava muito e que ele me ajuda. Dai ela perguntou a ele se ele queria morar mais a vovo e que eu ficasse so com o Daniel que é o bb que ta por vim. Ele disse que sim. Dai eu disse olhando pra ele. Mamae te ama tanto vc e Daniel sao meus filhos. Como passei a semana indo pro medico ela ficou com ele a tarde. Mas qdo fiquei em casa ela me ligou dizendo que ia ficar com ele ate o pai chegar e pega-lo pois o Samuel tava dizendo que nao queria vir pra casa pois sou chata e bato e belisco ele. Nao sei se isso é ele que inventa ou é lembrança do inicio da educaçao que eu errava ou é ela que inventa. So sei que desde qdo o meu esposo disse que eu nao queria morar na rua dela ela nao trouxe mais a criança pra casa dizendo que ele nao quer vir pra casa.
Debora Domingos disse…
E ela passou a semana pedindo ele. No sabado ele passou o dia na casa dela pois meu esposo que tava de folga levou ele la e ele nao quis voltar. Qdo fomos pega-lo ele nao quis voltarfez um escandalo chamando ela de mae que ela era nae dele e nao eu. Comecei a chorar entreguei a roupa que tinha levado pra troca-lo e disse q o amava muito mas que nao ia força-lo a ficar comigo. Dai ela disse q nao dava pra ficar com ele pois nao tinha rede. Eu disse ue a senhora passou a semana pedindo ele dizendo que eu nao tinha como cuidar dele. Nao tinha nem como cuidar de mim e agora que é pra ele ficar nao pode. Eu mando a rede. Ela nao ficou com ele. Eu ia deixa-lo la por uma noite e noutro dia ia busca-lo. Mas ela nao ficou com ele. Perguntei nervosa e gritando com ele cade a sua avo quis ficar com vc? Quem te quer sou eu, quem te ama sou eu. Ele se jogou no chão e começou a chorar. Sentei numa pedra olhei pro céu respirei fundo e falei mais calma com ele. Se levante. Dai ele levantou e conversei olha a mamae te ama muito. To triste por vc nao querer ficar comigo. Eu sou a sua mae e nao a sua avo que é. Ta vindo o Daniel mas vcs sao os meus bbs. Dai ele me abraçou pediu desculpa mas no outro dia ja queria ir pra la de novo. Onde to errando pro meu filho nao querer ficar comigo? Ou é ela que ta influenciando ele? As vezes dou carao nele qdo faz traquinaçao. Boto de castigo. Grito.mas evito bater. Dou palmadinha qdo vejo que ta realmente me desrespeitando. Mas qdo ele ta com ela e chego la vejo ela fazer a mm coisa. Qdo ele faz traquinaçao ela grita com ele. Manda ele ficar com o menino de 11 anos pra ela fazer as coisas de casa. Dai ele bate no menino dai ela manda o menino bater nele tbm. Dizendo que so porque ele é pequeno que vai bater no dela e ficar sem apanhar. Digo q é errado que ele entreguea criança pra ela qdo tao brigando ela diz que nao tem tempo de ficar olhando menino. Dai o Samuel quer ficar con o de 11 anos e noto que ele fica com ele a força. E bate nele qdo ta desobedecendo ate ne diz. Dai digo. Olhe se nao dar entregue pra sua mae. Mas nao bata nele. Ele tem pai e mae. O meu filho fica beliscando ele digo bem seria pra nao fazervisso nas ele nem escuta dai o menino na minha frebte diz tu vai ver vou te bater na minha frente. Nao sei o que fazer. O meu filho provica. O outro bate com autorizaçao da avo do meu filho. Digo q é errado o menino nao quwr ta comigo. Prefere apanhar dos outros. Isso é normal?
Unknown disse…
E hoje? Como vc está? Já tentou falar com alguma outra pessoa da família? Ou um professor? Pra te dar um apoio melhor é orientar seus pais?
Marcia disse…
Gostei muito do artigo, minha filha tem mutismo seletivo, que piorou muito com a ida à escola,apesar do relacionamento com as pessoas, sem falar, tenha melhorado. Ela tem 4 anos , e problema que as outras criancas percebem e falam com ela, perguntando por ela não fala. Hoje ela faz terapia, a mais ou menos 3 meses , mas ainda não está conversando na escola e agora em quase todos os ambientes q antes ela falava.
Iara Sodré disse…
Oi Márcia. Boa noite! Comecei um tratamento com minha filha de três anos. Ele tem medo de adultos... Não fala com ninguém. Quanto mais velha a pessoa, mais medo ela tem. Ela eh muito tímida. To torcendo pra esse tratamento da certo
Iara Sodré disse…
Oi Márcia. Boa noite! Comecei um tratamento com minha filha de três anos. Ele tem medo de adultos... Não fala com ninguém. Quanto mais velha a pessoa, mais medo ela tem. Ela eh muito tímida. To torcendo pra esse tratamento da certo
Rose disse…
Meu filho tem nove anos fui parar com ele no consultório da psiquiatra com uma crise de ansiedade muito forte no dia 13/02/2016 o tratamento é longo depois de 5 medicamentos ele retornou ai Colégio em Agosto e mesmo assim já teve 3 crises de ansiedade mas está bem melhor. É precioso muita fé em Deus, muito Amor, paciência e muita informação.
Rose disse…
Meu filho tem nove anos fui parar com ele no consultório da psiquiatra com uma crise de ansiedade muito forte no dia 13/02/2016 o tratamento é longo depois de 5 medicamentos ele retornou ai Colégio em Agosto e mesmo assim já teve 3 crises de ansiedade mas está bem melhor. É precioso muita fé em Deus, muito Amor, paciência e muita informação.
Anônimo disse…
Leve ele para um. Psicólogo e pra igreja que vc achar melhor, verá que ele vai melhorar.... Na igreja congregação cristam do Brasil, tem culto dos jovens dias de domingo.. Experimente
Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.
Tenho uma sobrinha autista de 1 grau apenas. Tá tendo uns ataques de pânico ou ansiedade, não sei bem descrever. Acontece q ela hoje a noite teve um, e minha irmã q é sua vó disse que ela ficou com a mãos formigamento, falta de ar,nervos da mão duros, e acelerou o coração. Que será isso
Minha irmã está apavorada. Ela a menina perguntou pq ela tinha nascido assim.Muito triste isso tudo.
Dany Lemos disse…
Como está sua filha hj ? 'Meu filho tem a mesma coisa mudei de escola e ele foi diagnosticado com alopesia devido a ansiedade usei algumas pomadas e logo voltou ao normal
Lucas Sousa disse…
Eu sou um garoto, tenho 14 anos e sofro muito com o transtorno de ansiedade desde aos 7 ou 8 anos. Venho tendo muitos problemas e vem piorando ainda mais, o que eu deveria fazer? Acho inútil falar isso para os meus pais, eles devem pensar que é besteira.
Unknown disse…
MinhA filha tem 10 anos sempre apresentou sintomas de ansiedade, inclusive eu sou extremamente ansiosa mais nunca tive tratamento, se disser o não ela tem dificuldadesido de aceitar conta isso chora, treme , soar , e ultimamente estar com um séria insônia como estamos sem planos de saúde não sei por onde começar me ajudem
Unknown disse…
Qual o.medicamento que fez mais efeito a ele? Tenho um filho com o.mesmo problema.
Anônimo disse…
Meu filho tem 8 anos e noto ele mt ansioso.Vive perguntando sobre o futuro e disse q fica com medo de q eu morra.Fico mt preocupada pq tbm tenho mt ansiedade,os sintomas são dor de barriga e vômitos mas geralmente só de manhã quando acorda.Me ajudem será q tem algum remédio para melhorar essa situação?Desde já obg.
Unknown disse…
Meu filho foi diagnosticado com transtorno de ansiedade. Levei no psiquiatra e ele receitou terapia e fluxetina
Unknown disse…
Meu filho foi diagnosticado com transtorno de ansiedade. Levei no psiquiatra e ele receitou terapia e fluxetina
Mãe cansada disse…
Meu filho tbm se preocupa com tudo e pensa muito besteira
Lucas, você não vai saber o que eles acham se não falar com eles. Pode ser que você se surpreenda com a reação deles e receba apoio. Se eles não compreenderem, procure outro adulto de confiança, uma avó, um tio, um professor, e tente obter ajuda.
GEÓRGIA disse…
Lucas, não assista videos do youtube sem supervisão. Comece a ler a bíblia. Escreva uma carta aos seus pais e explique tudo o que sente e sofre. Os pais amam os filhos e querem o melhor sempre. Deus te ilumine.
Anônimo disse…
Bem não sei como expressar está emoção sei que a minha volta todos pensam que eu sou a melhor nos resultados na escola e que um exame para mim não é nada, faço aquilo com uma perna atrás das costas mas não ninguém sabe sem ser os meus familiares e amigos mesmo próximos como eu não durmo a noite, não como no pequeno almoço e no jantar, não consigo parar de estudar e deixar de pensar que vou desiludir os professores pois eles estão sempre a dizer que eu tenho que ter muito bom em tudo e devido a tanta pressão e a não dormir tirei bom no exame e não sei o que fazer sinto cada vez mais que os professores ficaram desiludidos comigo não consigo nem ir a escola encarar eles estou farta da sociedade querer e esperar uma coisa de nós que nem nós próprios sabemos se conseguimos fazer estou com muito stresse, nervosa e sempre a pensar que devido aos nervos poderia ter feito melhor, queria perguntar sei tem alguma sugestão sobre como para a frente no caminho escolar ficar menos nervosa e principalmente a noite dormir antes de um teste??
Boa tarde tenho uma filha com dez anos a um ano estou correndo com ela pra todo lado pra ver se consigo uma pessoa pra ajuda la levei psicologa no psiquiatra ele receitou depakene usei uns tempos mas a melhora foi muito pouca resolvi levala a um terapeuta ele faz diagnosticos atraves dos olhos e ele disse q o q ela tem e ansiedade muito forte ai expliquei como era as crises ela fica tremula virando e piscando o olho pergunto as coisas pra ela e ela esta aerea nao sabe responder ou demora pra mi dar uma resposta as sombrancelhas ficam mexendo as vezes ela para de frente a alguma coisa e fica ali parada olhando as vezes sem reacao ou tremendo o q ele disse foi isso ansiedade mi passou uns remedios naturais pra dar a ela o resultado foi bom antes ela dava estas crises umas tres vezes na semana agora passou pra uma vez de dois em dois meses mas quando vem fico muito preoculpada
Anônimo disse…
Menina estudiosa, sou professora e sei que sempre queremos que os nossos alunos estejam bem. As notas boas são apenas um reconhecimento de que você aprendeu, mas seus professores vão gostar de você ainda que suas notas não sejam perfeitas. Apenas queremos que os alunos não sejam preguiçosos e sejam pessoas boas, não ficamos decepcionados com notas ruins. Não se cobre tanto, acho que seria bom procurar uma ajuda especializada, pois não é normal ficar tão nervosa com as notas, elas não dizem nada sobre quem você é. Tudo de bom!

Mais Visitados